SIGA-NOS:

Monumento ao Pedreiro Montante

Assente sobre uma base em pedra de forma circular, este grupo escultórico evoca o esforço e a exigência da profissão de pedreiro. Ambos os homens apresentam-se em plena atividade da sua profissão. O pedreiro representado de pé segura com os dois braços o martelo, enquanto o outro pedreiro segura a broca. Dois utensílios usados nesta profissão.
O pedreiro-montante representado de pé aparenta uma expressão mais jovial com a cara lisa e uma textura suave, enquanto o pedreiro que segura a broca expressa um expressão mais pesada e marcada com as rugas de expressão desenvolvidas com a idade.
Ambos os pedreiros estão seminus, somente cobertos por umas calças e uns chinelos abertos que sustentam todo o peso dos seus corpos. O tronco descoberto realça a musculatura bem desenvolvida e definida devido à exigência da profissão.
O pedreiro mais novo está representado de pé, com o pé esquerdo ligeiramente à frente do direito, parecendo auxiliar o balanço que os braços estão a realizar para executar o movimento do martelo. O pedreiro mais velho segura com ambas as mãos a broca fina e alongada, com a perna direita avançada em relação à esquerda, esta apresenta-se dobrada e com o pé repousado sobre o solo. A perna contrária está dobrada e assenta o joelho no chão.
Este grupo escultórico marca o local onde está inserido pelo seu significado e simbologia, representado os dois pedreiros com expressões de dedicação e desgaste físico, contudo, salientamos os pormenores do tratamento dos corpo e dos cintos que estão colocados em torno da cintura. Referencia também para o exagero anatómico que a escultura oferece aos membros superiores e inferiores, que parecem com uma dimensão maior em relação ao restante corpo.
Pela sua monumentalidade, este grupo escultórico presenteia o observador com a vivência e exigência daquele labor.
Esta escultura de homenagem aos pedreiros e a outras diferente profissões foi algo recorrente na estatuária portuguesa depois do 25 de Abril de 1974. Usualmente em diferentes cidades portuguesas podemos observar esculturas dedicadas a pescadores, bombeiros, lavradores, entre outras profissões.*

Autor: Emília Lopes
Data: 2004


*Silva, Cátia Raquel

Morada

Rua do Mosteiro/Rua do Calvário (bifurcação)
Águas Santas